ENDOMARKETING e BRANDING?

11/6/2019

Sim, eles combinam mais do que você imagina.

Na nossa constante busca pela inovação, procuramos entender o contexto mercadológico para desenvolver e aprimorar ferramentas, entregando estratégias completas e os melhores resultados a nossos clientes. E em pesquisas pelo mercado, é normal nos depararmos com empresas que se preocupam extremamente com a imagem que causam a seus clientes, mas acabam deixando em segundo plano uma atuação consistente e próxima para engajar e valorizar o seu público interno.

Esse desequilíbrio é causador de números alarmantes, como apenas 24% dos brasileiros se sentirem realizados com sua vida profissional (ISMA-BR), ou de 64% das empresas terem dificuldade na retenção de colaboradores (HayGroup).

Levando em consideração que os funcionários devem ser tratados sempre como os clientes mais importantes, e que a felicidade e a satisfação deles reflete diretamente os resultados da empresa e a imagem dela para o mercado (ainda mais em tempos de redes sociais), é imprescindível estabelecer estratégias para motivá-los.

E o Branding pode ajudar nisso: ele e o Endomaketing são ferramentas essenciais para as empresas, e todo mundo sabe disso. Mas por que elas atuam em paralelo se poderiam funcionar muito bem juntas?

Enquanto o Endomarketing visa estabelecer estratégias internas de comunicação que valorizam, engajam e dão propósito ao colaborador para desempenhar o seu trabalho, conciliando bem-estar e resultado, o Branding visa construir e reposicionar a essência das marcas para que se tornem cada vez mais consolidadas e relevantes no mercado. Ou seja, enquanto o Endomarketing atua dentro das empresas (com foco no público interno), o Branding age fora delas (com foco no público e no mercado).

E foi assim, pensando nas múltiplas funcionalidades de cada uma, que ao invés de vermos as duas como distintas, passamos a vê-las como complementares. A partir disso, é possível elaborar estratégias combinadas e inteligentes para construir e executar uma gestão de marca feita para os colaboradores e pelos colaboradores, compartilhando valores em uma relação baseada na confiança, na transparência e no senso de pertencimento. Isso pode trazer resultados extremamente positivos e altamente surpreendentes, que começam no dia a dia do ambiente de trabalho e podem gerar reflexos significativos inclusive no mercado. Afinal, se o Branding é o cerne estratégico de venda das grandes empresas e produtos para o mercado, por que não pode ser também o cerne do Endomarketing?

Aguarde, vem novidade aí!